Fugazi – Repeater + 3 Songs

Não demorou um semestre sequer desde o lançamento da coletânea 13 Songs para que o Fugazi lançasse o EP 3 Songs, pouco depois o aclamadíssimo Repeater e acabasse juntando ambos em Repeater + 3 Songs.

O grupo fez muito bem em não juntar ambos chamando-os apenas de “Repeater”. Os dois são de fato lançamentos bem diferentes entre si, 3 Songs tem um som que mais rebusca os dois primeiros EPs da banda, ainda com Picciotto sem uma guitarra em mãos (Ok, ele até faz uma coisa ou outra no EP Margin Walker, mas é algo extremamente tímido).

3 Songs é constituído pela enérgica Song #1, que é uma grande pedida dos shows ao vivo do grupo, aonde Guy aproveita-se da pequena participação na música (apenas vocais secundários) para dançar loucamente pelo palco (Olha só), pela primeira faixa instrumental do grupo, Joe #1, marcada principalmente por um baixo presente e um ritmo repetitivo e pela curtíssima Break-In, com total destaque para os vocais de Picciotto que canta loucamente e rapidamente pela faixa mais punk do álbum.

Agora, a atração principal, Repeater. É aqui que o Fugazi cria vários dos fatores dos quais a banda vai ficar conhecida pelo resto da carreira. Guy Picciotto começou a tocar guitarra ao lado de Ian MacKaye, mas não no estilo tradicional no qual um é guitarra base e o outro é guitarra solo, no Fugazi esse conceito é totalmente abatido. O trabalho das duas guitarras distorcidas é incrível, não é preciso nem rpestar atenção no álbum para perceber as guitarras barulhentas e problemáticas que circulam faixas como Repeater, Sieve-Fisted Find, Styrofoam, Shut The Door

Claro que nada disso seria possível se Brendan Canty e Joe Lally não fizessem um trabalho incrível no fundo para deixar que as guitarras circulem à vontade. A habilidade de ambos fica extremamente evidente na faixa instrumental Brendan #1, ente os grandes momentos de Joe Lally ainda podemos citar Turnover, Merchandise, Sieve-Fisted Find, Repeater, que apesar de serem geralmente simples, marcam uma presença essencial e evidente em todas as faixas. Canty prova ser um puta de um baterista, pois além de segurar, sempre consegue apresentar destaque, Merchandise, Turnover, Styrofoam falam por si só.

A alternância de vocalistas novamente faz um papel importante, os vocais altos e enfáticos de Ian MacKaye, faz com que trechos como “We owe you nothing, You have no control” (Merchandise), “We are all bigots so full of hatred, We release our poisons” (Styrofoam) soem como verdadeiros mantras, e ainda que o refrão de Shut The Door soe absurdamente intenso.

Picciotto por outro lado deixa faixas como Turnover, Blueprint, Reprovisional (Nova versão de Provisional de 13 Songs) e Two Beats Off ao mesmo tempo relaxantes e intensas. E seu vocal com grande enfoque emocional e rasgante marca bem “That’s the price to pay for hoping every slip, not a slide” (Reprovisional), “please let me get my hands on it” (Sieve-Fisted Find), “Maybe together we can wipe that smile off your face” (Blueprint).

O álbum vendeu mais de 200.000 cópias, um número impressionante para uma banda que é contra o marketing, e acredita apenas no merchandising de boca, nada de videoclipes, camisetas, propagandas, entrevistas para grandes revistas, nem nada. O grupo chamou a atenção de diversas grandes gravadoras da época, todas recusadas, se tem algo que a banda defende é a sua integridade, recusou com o argumento de que a Dischord Records (Gravadora na qual ian MacKaye é um dos donos) já estava distribuindo os seus LPs bem o bastante. Toda essa filosofia de vida, ao lado dos shows e álbuns por preços absurdamente baixos de modo que qualquer fã do grupo, não importa a classe social, poderia comprar (álbuns: 10$, shows: 5$, com pequenas alterações), acabou se tornando a grande marca do Fugazi, até mais do que a própria música.

Repeater acabou provando ser um dos melhores álbuns da história da música, fazendo parte de inúmeras listas, e influenciando inúmeras bandas de rock alternativo. Um álbum tão bem acabado, com grandes momentos do começo ao fim, em que cada faixa parece um verdadeiro clássico conseguiu atingir um extenso público apesar de não ter sido auxiliado por nenhum grande fator de marketing, mostrando que a boa música pode sim atingir o ouvido da humanidade sem a ajuda da imprensa para isso.

Fugazi – Repeater + 3 Songs (1990)
Gênero: Post-Hardcore

01 – Turnover – 4:15
02 – Repeater – 3:01
03 – Brendan #1 – 2:32
04 – Merchandise – 2:59
05 – Blueprint – 3:53
06 – Sieve-Fisted Find – 3:24
07 – Greed – 1:47
08 – Two Beats Off – 3:28
09 – Styrofoam – 2:35
10 – Reprovisional – 2:17
11 – Shut The Door – 4:59
12 – Song #1 – 2:54
13 – Joe #1 – 3:02
14 – Break-In – 1:32

Destaques:

Turnover, Repeater, Merchandise, Blueprint, Sieve-Fisted Find, Styrofoam, Shut The Door

Download

Tudo By LA

“Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apagá-lo ou comprá-lo após 24 horas. – A aquisição desses arquivos pela Internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário. Os donos, administradores e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do blog não têm responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los”.

Anúncios

Sobre lavemmenamora

Aham, tou sabendo..
Esse post foi publicado em Fugazi e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Fugazi – Repeater + 3 Songs

  1. Isabela disse:

    Haha. legal .. vou baixar com certeza : )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s